Falsos refugiados no tráfico de menores

CM 23 de julho de 2018

Crianças trazidas por requerentes de asilo, sem documentos, ficam retidas durante semanas.

Por Correio da Manhã

O aumento de estrangeiros sem documentos que chegam a Portugal com menores está deixar crianças retidas nos Centros de Acolhimento Temporário, sobretudo no aeroporto de Lisboa. A falta de instalações adequadas para famílias e os "fortes indícios de tráfico de menores" são apontados como causas para a situação, que contraria a Convenção dos Direitos da Criança e que levou a Agência das Nações Unidas para os Refugiados a alertar a Provedoria de Justiça.

O problema obriga a que bebés, filhos de requerentes de asilo, tenham de permanecer várias semanas – e, em alguns casos, meses – em camaratas com adultos. Num dos casos denunciados ontem pelo jornal ‘Público’, uma criança de três anos estava há mês e meio a pernoitar num colchão ao lado da cama da mãe, numa camarata com mais 16 pessoas.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login