4
Nélson Veríssimo. Atinado, certinho e amigo dos jogadores
15 de janeiroCarlos Torres

Nélson Veríssimo. Atinado, certinho e amigo dos jogadores

Enquanto jogador, aproveitava os estágios para estudar – tirou Educação Física. Era um defesa central com bom toque de bola e fair-play, mas também dava cacetada. Depois de oito anos nos bês encarnados, sete deles como adjunto, assume agora a equipa principal.

O moralista

Fernando Santos: um adeus português

A culpa é o eixo da esfera judaico-cristã que Santos traz ao peito como um globo de cilícios. Ele é o único culpado de transformar o vinho de Ronaldo, Bernardo Silva, Bruno Fernandes, Rúben Dias e João Cancelo em água-pé. É quase impossível reduzir o génio destes rapazes a poeira, mas este Santos faz milagres

As caretas de Jesus e a “guerra” no Benfica; o novo Milan (com o velho Ibra); e o deus Ronaldo passeando pela tarde de Manchester
06 de novembro de 2021Carlos Torres

As caretas de Jesus e a “guerra” no Benfica; o novo Milan (com o velho Ibra); e o deus Ronaldo passeando pela tarde de Manchester

Um dos grandes jogos do fim-de-semana, o Benfica-Braga servirá para perceber como vai a suposta “guerra civil” nas águias (será que Otamendi, Gilberto ou Lucas Verissimo nunca tinham reparado nas expressões de "fúria assassina" de Jesus na linha lateral?). Já a nível internacional, o destaque vai para os dérbis de Milão e de Manchester.

A SÁBADO em Munique: A arena dos nossos pesadelos
20 de junho de 2021Tiago Carrasco

A SÁBADO em Munique: A arena dos nossos pesadelos

Munique é uma cidade que funciona: os testes covid são gratuitos e marcados com uma hora de antecedência, pode dormir-se sem ruído no centro da cidade e há festas à beira-rio. Mas o Allianz Arena não quer nada com os portugueses.

Portugal-Hungria: à espera do novo momento-bola no poste
15 de junho de 2021Carlos Torres

Portugal-Hungria: à espera do novo momento-bola no poste

Em 13 jogos, Portugal nunca perdeu com a Hungria. E também não vai ser agora, certo? Uma vitória no jogo de abertura da seleção neste "grupo da morte", onde estão Alemanha e França, os dois últimos campeões do mundo, poderá ser essencial para seguir em frente. Nem que seja como um dos melhores terceiros, como aconteceu em 2016. Aliás, quem não se importaria de repetir o Europeu de França?

O retrato da seleção: velhadas, calmeirões, lingrinhas e papa-taças
09 de junho de 2021Carlos Torres

O retrato da seleção: velhadas, calmeirões, lingrinhas e papa-taças

Portugal parte quinta-feira, 10 de junho, para Budapeste, para começar a defesa do título de campeão europeu conquistado em 2016. Com vários trintões, incluindo Pepe e Ronaldo, a seleção tem atletas que esta época já cumpriram 91 horas de futebol.

A Newsletter As Mais Lidas no seu e-mail
Às Sextas-Feiras não perca as notícias mais lidas da semana