Operação Marquês: O trajeto do dinheiro e a loja de Francisco Canas
07 de abrilAntónio José Vilela

Operação Marquês: O trajeto do dinheiro e a loja de Francisco Canas

Dois milhões de euros, pagos por Ricardo Salgado a José Sócrates, passaram pela loja de Zé das Medalhas. O esquema foi identificado no Monte Branco. Até à próxima sexta-feira, dia da decisão do juiz Ivo Rosa, a SÁBADO vai publicar vários textos que retratam o essencial da acusação e das defesas dos arguidos.

Vida de luxo. Os milhões a que Sócrates perdeu a conta
07 de abrilOctávio Lousada Oliveira

Vida de luxo. Os milhões a que Sócrates perdeu a conta

Não tinha rendimentos além dos de primeiro-ministro mas dinheiro não lhe faltava: para gastos pessoais e também para distribuir pela família e amigas. O dinheiro vinha do testa-de-ferro Santos Silva. Leia as explicações que Sócrates deu ao juiz Ivo Rosa

Nomeações na Santa Casa: A grande e santa família
01 de abrilMaria Henrique Espada

Nomeações na Santa Casa: A grande e santa família

O mais radical dos familygates. O irmão e o (ex-) marido da líder parlamentar do PS contratados, a filha do amigo do primeiro-ministro promovida, a namorada do provedor (e o irmão e a ex-nora desta) na casa, a filha de um ex-Presidente da República assessora, e agora a mulher de um secretário de Estado em funções nomeada administradora, há apenas um mês e meio: bem-vindos à Misericórdia de Lisboa.

Os negócios imobiliários da Altice, do CEO e do amigo
31 de marçoAntónio José Vilela

Os negócios imobiliários da Altice, do CEO e do amigo

Foram vendidos quatro prédios em Lisboa por cerca de 15 milhões de euros. Os compradores têm ligações a um circuito empresarial montado em Braga, na Zona Franca da Madeira e no Dubai. E com relações ao empresário Hernâni Vaz Antunes, familiares e sócios. Na mesma altura, duas dessas empresas venderam uma moradia a Alexandre Fonseca e dois apartamentos a amigas íntimas de Hernâni e de Armando Pereira.

Os grandes e maus negócios do Estado

Portugal não quer fazer o debate de como se ataca essa impunidade estrutural, sob nenhum ponto de vista. Prevalece no debate público esse monstro sagrado dos direitos fundamentais de qualquer cidadão perante o poder coativo da justiça chamado presunção de inocência.

O homem que comprou a Groundforce sem dinheiro
18 de marçoBruno Faria Lopes

O homem que comprou a Groundforce sem dinheiro

Alfredo Casimiro comprou 50,1% da empresa em 2012 sem pôr dinheiro e só em Março de 2018, após a execução de uma garantia bancária, acabou de pagar à TAP. Entretanto já recebera milhões em comissões de gestão, que chegou a levantar em "cash" no banco.

Mutualista Montepio: 'Banco não está à venda' e 'está capitalizado'
29 de novembro de 2020Jornal de Negócios

Mutualista Montepio: "Banco não está à venda" e "está capitalizado"

Recusando ser "delfim" de Tomás Correia (ex-presidente da associação), Virgílio Lima assegura, em entrevista à TSF e Dinheiro Vivo, que o Banco Montepio tem uma dimensão estratégia para o grupo mutualista e como tal "não está à venda".

Santa Casa contratou Paulo Pedroso por 3700 euros
25 de novembro de 2020Maria Henrique Espada

Santa Casa contratou Paulo Pedroso por 3700 euros

O ex-socialista e diretor de campanha de Ana Gomes assinou contrato em setembro, com efeitos retroativos a abril. Na mesma altura, foi também contratado pela Associação Mutualista Montepio, que se cruza com a Santa Casa como acionista do Banco Montepio.

Os pecados capitais dos bancos que nos custam muitos milhões
23 de novembro de 2020Ana Taborda

Os pecados capitais dos bancos que nos custam muitos milhões

Ao mesmo tempo que cobram cinco milhões de euros em comissões por dia, nos últimos anos as entidades bancárias receberam 20 mil milhões do Estado. Faturas que o contribuinte paga para tapar buracos de gestão ruinosa.

A Newsletter Geral no seu e-mail
Tudo o que precisa de saber todos os dias. Um resumo de notícias, no seu email. (Enviada diariamente)