Camané: “Tenho o tempo do fado cá dentro”
29 de outubroFilipa Teixeira

Camané: “Tenho o tempo do fado cá dentro”

Sucessor de “Infinito Presente”, álbum de 2015, “Horas Vazias” marca o regresso de Camané aos originais, depois de ter cantado Marceneiro e de ter lançado um disco a duo com Mário Laginha. É o primeiro álbum desde 1995 sem José Mário Branco ao leme.

A SÁBADO é todos os dias
29 de outubroBruno Faria Lopes

A SÁBADO é todos os dias

A tatuadora que põe a sua arte ao serviço das sobreviventes de cancro da mama, os traficantes que dizem ter sido alvo de uma cilada do Estado português, os próximos passos de Marcelo e o novo álbum de Camané. A sua newsletter antes de uma pausa de três dias.

Vasco Vilhena não quer mudar o mundo, só a si mesmo
02 de abrilPedro Henrique Miranda

Vasco Vilhena não quer mudar o mundo, só a si mesmo

No seu segundo disco, o pianista lisboeta volta-se para si mesmo para encarar os dilemas da modernidade, e defende que não há progresso sem introspeção. A Poda das Nuvens já está nas plataformas digitais, e é editado em formato físico a 1 de maio.

Morreu Carlos do Carmo
01 de janeiroDiogo Barreto

Morreu Carlos do Carmo

O cantor, de 81 anos, morreu na manhá desta sexta-feira, no hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde deu entrada ontem com um aneurisma na aorta

Dia 32, a imensa sinfonia de Abril
25 de abril de 2020Eduardo Dâmaso

Dia 32, a imensa sinfonia de Abril

O calendário cumpriu-se sem sobressalto, com um Parlamento aberto em versão reduzida, mas, mesmo assim, Abril não foi inteiramente cumprido na manhã de hoje.

E a inquietação? 

Enquanto o país debatia a eutanásia, Rogério morria à espera. Não foi uma morte escolhida, refletida, reiterada. Foi uma partida inesperada, sem escolha, totalmente avessa à sua vontade.

As 24 palavras que definem 2019
17 de dezembro de 2019Lusa

As 24 palavras que definem 2019

Com base nas pesquisas feitas por 37 milhões de utilizadores no Priberam, o dicionário digital e a agência Lusa selecionaram as palavras que podem definir o ano que está a terminar.

4
José Mário Branco: uma vida feita só  de inquietação
22 de novembro de 2019Lucília Galha

José Mário Branco: uma vida feita só de inquietação

Aos 4 anos já chorava ao ouvir violino; aos 17 trabalhou numa rádio; aos 29 gravou o primeiro álbum e percorreu o País a cantar em cima de carros de bois. Mas a carreira de José Mário Branco não se resumia às canções.

A Newsletter As Mais Lidas no seu e-mail
Às Sextas-Feiras não perca as notícias mais lidas da semana