Elefantes e esquilos

Aqui surge o peculiar caso da UE, que ainda não assumiu se pretende ser um elefante ou um esquilo. No presente, escolheu alguém da família dos roedores para dirigir a sua política externa, com ausência de conhecimentos de história e geografia comprovados.

O 4 de fevereiro em Angola: a história de uma conspiração
22 de fevereiroAntónio Luís Marinho

O 4 de fevereiro em Angola: a história de uma conspiração

Há 60 anos, o assalto às prisões de Luanda falhou, mas tornou-se o símbolo do arranque da luta pela independência. A SÁBADO conta-lhe episódios desconhecidos, as superstições e os segredos dos preparativos. Parte 1.

25 de abril: um apóstolo do socialismo
13 de fevereiroJoão Pedro George

25 de abril: um apóstolo do socialismo

Agora sabemos que há, pelo menos, dois Megas: o propagandista do Estado Novo e o marxista-leninista do PREC; o negacionista de Wiriamu e o gestor cultural que navega nas turvadas águas do PS. A sua produção discursiva, antes e depois do 25 de Abril, demonstra de que lado sempre quis estar: do lado de quem tem o poder. No fim de contas, Mega limitou-se a mudar para que Mega pudesse ficar na mesma.

3
Ana Gomes: a 'insider' contestatária
22 de janeiroBruno Faria Lopes

Ana Gomes: a 'insider' contestatária

Revolucionária, diplomata, política, eurodeputada. Ana Gomes esteve sempre perto do poder, mas conservou as arestas - e uma persistência, idealista, que diz ter herdado da mãe.

O massacre de Wiriamu
21 de janeiroJoão Pedro George

O massacre de Wiriamu

Este ensaio faz parte de um livro a publicar pelo autor, na Penguin Random House, até final do ano e que se intitulará "O Império às Costas, Retornados, Racismo e Pós-Colonialismo". Com este trabalho, a SÁBADO inicia uma série “Guerra Colonial: 60 anos, 60 histórias”, que se prolongará até ao final do ano.

André Ventura: 'Acho que sou uma pessoa muito humilde'
21 de janeiroAlexandre R. Malhado

André Ventura: "Acho que sou uma pessoa muito humilde"

A bravata, os insultos aos adversários, a vitimização, os dinheiros do Chega e as ambições para o futuro: o candidato presidencial explicou-se numa extensa entrevista dura à SÁBADO, em dezembro, que agora publicamos na íntegra.

Joe Biden: O destino é a política
21 de janeiroJoão Carlos Barradas

Joe Biden: O destino é a política

Os EUA têm um novo presidente. O que muda a partir de agora para os americanos, mas também para o mundo, agora que o democrata Joe Biden substituiu na Casa Branca o republicano Donald Trump.

A Newsletter Geral no seu e-mail
Tudo o que precisa de saber todos os dias. Um resumo de notícias, no seu email. (Enviada diariamente)