Death Clean: da limpeza de cenários de crime até à desinfeção da covid-19
26 de julhoRicardo Santos

Death Clean: da limpeza de cenários de crime até à desinfeção da covid-19

Empresa foi criada em 2008 depois de Pedro Badoni ter visto um filme sobre limpezas de cenas de crime. É a primeira certificada em Portugal para desinfeção de locais em risco biológico. Homicídios, suicídios ou decomposições, eles tratam de tudo. E com a covid-19 o telefone não parou de tocar.

Centros de saúde não separam suspeitas de Covid
16 de julhoLucília Galha

Centros de saúde não separam suspeitas de Covid

Em Almada e no Seixal, deixou de haver um atendimento independente para os casos suspeitos de Covid, que agora são vistos juntamente com os outros doentes nas unidades.

Vamos comer fora? As melhores esplanadas para matar saudades
15 de maioÂngela Marques

Vamos comer fora? As melhores esplanadas para matar saudades

Pequenas e grandes, metade à sombra ou panorâmicas sobre o mar, as esplanadas estão em alta por estas semanas. Tínhamos saudades delas e andámos a correr para voltar às nossas preferidas. Elas estão aqui, à sua disposição.

O licor chinês que derrotou a Coca-Cola
01 de marçoLuís Francisco

O licor chinês que derrotou a Coca-Cola

Se ainda não ouviu falar de Kweichow Moutai, prepare-se, pode estar prestes a aparecer-lhe no copo. A empresa que o produz já é a mais valiosa do mundo no setor das bebidas.

“Os hospitais ligam-me a pedir para ir buscar corpos. Precisam de espaço”
31 de janeiroAna Taborda

“Os hospitais ligam-me a pedir para ir buscar corpos. Precisam de espaço”

Quase duplicaram o espaço para cadáveres, aumentaram em 600% o consumo de álcool gel, fizeram perto de 200 testes aos funcionários. Os serviços também são mais difíceis. "As pessoas estão a morrer em casa e nos lares". O diretor-geral de uma funerária fala sobre a pandemia.

O pesadelo logístico do processo eleitoral em pandemia
19 de janeiroMargarida Davim

O pesadelo logístico do processo eleitoral em pandemia

Dificuldades em arranjar quem vá para as mesas de voto, autarcas a organizar equipas para ir a casa de quem está confinado, emigrantes impedidos de votar. As eleições em ano de pandemia obrigam a uma complexa operação logística. E até há quem já tenha gastado 300 euros só para ir votar.

A Newsletter Geral no seu e-mail
Tudo o que precisa de saber todos os dias. Um resumo de notícias, no seu email. (Enviada diariamente)