MP acusa suspeito da morte de Bruno Candé de homicídio por ódio racial
19 de janeiroSÁBADO

MP acusa suspeito da morte de Bruno Candé de homicídio por ódio racial

Evaristo Martinho, de 76 anos, assassinou Bruno Candé em plena via pública, em Lisboa, no mês de julho passado. Ministério Público provou expressões que o suspeito terá dito como "Vai para a tua terra, preto!" ou "Tens toda a família na senzala e devias também lá estar".

O moralista

Senzala

Bruno era negro, o enfermeiro que o assassinou é branco e o cenário não foi Salvador da Baía em 1820, ou Lourenço Marques 100 anos depois. O homicídio aconteceu há cinco dias no centro de Moscavide, a poucos quilómetros do palco da Web Summit e do esplendor da fibra óptica

A Newsletter Geral no seu e-mail
Tudo o que precisa de saber todos os dias. Um resumo de notícias, no seu email. (Enviada diariamente)