3
Líder do PSD Vila do Conde alvo de ameaças
28 de fevereiroMargarida Davim

Líder do PSD Vila do Conde alvo de ameaças

A sede da concelhia do PSD de Vila do Conde foi vandalizada pela segunda vez este ano. Pedro Soares, líder da estrutura diz que tem sido alvo de ameaças.

O 4 de fevereiro em Angola: a história de uma conspiração
22 de fevereiroAntónio Luís Marinho

O 4 de fevereiro em Angola: a história de uma conspiração

Há 60 anos, o assalto às prisões de Luanda falhou, mas tornou-se o símbolo do arranque da luta pela independência. A SÁBADO conta-lhe episódios desconhecidos, as superstições e os segredos dos preparativos. Parte 1.

Como Portugal ajudou a desmantelar uma rede jihadista europeia
18 de fevereiroNuno Tiago Pinto

Como Portugal ajudou a desmantelar uma rede jihadista europeia

Uma investigação iniciada em Portugal detectou uma célula do Estado Islâmico com ramificações em vários países europeus. O grupo estava a preparar um atentado seguindo instruções vindas da Síria e tinha ligações aos responsáveis pelos ataques de Paris e Bruxelas. Um dos elementos foi agora condenado a 30 anos de prisão, em França.

Secretas e Judiciária investigam QAnon
17 de fevereiroNuno Tiago Pinto

Secretas e Judiciária investigam QAnon

O grupo de extrema-direita terá centenas de seguidores em Portugal. As autoridades encaram-nos como uma ameaça à democracia e estão a analisar as suas ligações aos “movimentos pela verdade” e a um membro da direção do Chega.

Marcelino da Mata, o comando que escapou a uma certidão de óbito por fuzilamento
14 de fevereiroEduardo Dâmaso

Marcelino da Mata, o comando que escapou a uma certidão de óbito por fuzilamento

Na morte de Marcelino da Mata regressa o seu mito mas também a memória dos comandos africanos deixados a morrer em Bissau, às mãos do PAIGC. Uma página de ignomínia na história portuguesa contemporânea, que permanece como uma ferida aberta, a que mais facilmente podemos chamar crime de guerra do que a qualquer operação dos comandos africanos feitas no teatro de um conflito que representou, mais do que qualquer outro, o estertor do império colonial português.

25 de abril: um apóstolo do socialismo
13 de fevereiroJoão Pedro George

25 de abril: um apóstolo do socialismo

Agora sabemos que há, pelo menos, dois Megas: o propagandista do Estado Novo e o marxista-leninista do PREC; o negacionista de Wiriamu e o gestor cultural que navega nas turvadas águas do PS. A sua produção discursiva, antes e depois do 25 de Abril, demonstra de que lado sempre quis estar: do lado de quem tem o poder. No fim de contas, Mega limitou-se a mudar para que Mega pudesse ficar na mesma.

A Newsletter Geral no seu e-mail
Tudo o que precisa de saber todos os dias. Um resumo de notícias, no seu email. (Enviada diariamente)