Ribeiro e Castro apoia Chicão, mas repudia o Chega
15 de outubroPedro Henrique Miranda

Ribeiro e Castro apoia Chicão, mas repudia o Chega

O antigo presidente do CDS diz que Francisco Rodrigues dos Santos tem sido alvo de "desgaste contínuo e sistemático" de dentro do partido e que, se a direção for apoiada, tem um "futuro promissor".

Esquerda à espera de reuniões com o Governo
14 de outubroMargarida Davim

Esquerda à espera de reuniões com o Governo

PCP, BE e PEV ainda não voltaram a sentar-se à mesa para negociar com o Governo desde que o Orçamento foi apresentado e ainda não há encontros agendados. No Executivo garante-se que conversas nunca pararam. Mas à esquerda há descontentamento e exigências além do que está no Orçamento.

Orçamento. O plano do Governo para travar a crise política
14 de outubroMargarida Davim

Orçamento. O plano do Governo para travar a crise política

Governo está a "levar muito a sério" a ameaça de chumbo do PCP à proposta de Orçamento do Estado para 2022. Há reuniões e propostas para chegar a acordo com os comunistas. Mas também há um guião para se tudo falhar.

OE2022: O bom, o mau e o assim-assim
14 de outubroBruno Faria Lopes

OE2022: O bom, o mau e o assim-assim

O Governo parece pôr mais dinheiro no bolso dos contribuintes, mas deixa quase tudo na mesma e até agrava ligeiramente a tributação sobre os mais pobres. Leão, um pouco mais generoso na despesa, regressa à tática de Centeno.

PCP e Bloco querem ir além do Orçamento
06 de outubroMargarida Davim

PCP e Bloco querem ir além do Orçamento

Partidos à esquerda colocam condições, como a reforma da Lei Laboral e aumento geral dos salários, para aprovar Orçamento do Estado. PCP e BE querem “resposta global” ao que é “estrutural e não pontual”.

IL afirma que vai votar contra o OE2022
06 de outubroLusa

IL afirma que vai votar contra o OE2022

Cotrim Figueiredo admitiu que saiu da reunião com o executivo "mais preocupado" do que entrou e acusou o Governo de não fazer ideia de "como pôr o país a crescer".

A Câmara virou. E agora?
02 de outubroMargarida Davim

A Câmara virou. E agora?

Para governar Lisboa, Moedas vai ter de dar a volta a uma situação desfavorável: não tem maioria na vereação nem na Assembleia Municipal. Sem acordos com a esquerda, terá de fazer navegação à vista e encontrar algumas soluções criativas.

A Newsletter SÁBADO É TODOS OS DIAS no seu e-mail
NEWSLETTER EXCLUSIVA PARA ASSINANTES O resumo das notícias pela redação da SÁBADO, sempre ao início da manhã. (Enviada de segunda a sexta)