Notícia

Segurança

PSP faz operação para apanhar menores com álcool na noite

10.02.2018 07:00 por Augusto Freitas de Sousa
Choro, castigos, pais chamados de madrugada, uns compreensivos, outros indignados com os filhos – e alguns com a polícia. São quase todos miúdos de famílias com poder económico, identificados a beber álcool na rua, sem idade para isso
Foto: Sábado
Foto: Sábado
Foto: Sábado
Foto: Sábado
Foto: Sábado

PSP reportagem
As duas dezenas de agentes da PSP não foram suficientes para travar todos os menores que estavam na zona de Santos. Em segundos, após a chegada da polícia, os jovens, que estavam no fim da Av. D. Carlos I, em Lisboa, fugiram em todas as direcções. Ainda assim, os agentes conseguiram identificar 74 menores, dos quais 45 tinham menos de 16 anos. Há anos que a zona é conhecida pelo problema dos menores embriagados na via pública. Agora, com as intervenções policiais, a noite termina frequentemente com alguns pais a saírem da cama para ir buscar os filhos.

A operação Noites 100 vícios, que a SÁBADO acompanhou a 27 de Janeiro, foi preparada ao pormenor horas antes na esquadra da PSP da 1ª Divisão, no centro de Lisboa, onde se reuniram agentes da PSP, técnicos da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens em Risco e futuros juízes e procuradores, alunos do Centro de Estudos Judiciários. Durante os briefings, a responsável da PSP, comissária Aurora Dantier, explicou que a acção alargada tinha um carácter preventivo e pedagógico. A ideia era prevenir o consumo de álcool e drogas e ao mesmo tempo evitar que os menores sejam vítimas de crimes ou que eles próprios cometam um ilícito criminal. Aurora Dantier explicou à SÁBADO que a polícia tem encontrado situações graves, por exemplo jovens embriagados que acabam por ser vítimas de roubo ou mesmo de abuso sexual.

Cerca de uma hora antes da operação, alguns agentes da PSP foram enviados para o local para darem conta do ambiente e transmitirem informação sobre os locais onde os menores se juntavam. Pouco depois da 1h, arrancaram da esquadra mais de 50 agentes e civis, em autocarros, carrinhas e carros-patrulha, em direcção a Santos.

No local, os agentes da PSP à civil começavam a posicionar-se. Cerca de 20 minutos depois, no fim da Av. D. Carlos I, a PSP criou um perímetro fechado com homens e automóveis, altura em que dezenas de jovens tentaram ultrapassar as barreiras policiais fugindo descontroladamente e o mais depressa possível. Pelo caminho abandonaram garrafas e copos de plástico.

pub
A SÁBADO esteve em reportagem com a PSP e conta-lhe como reagiram os pais, os filhos, e a polícia, numa das acções que se irão repetir em Lisboa ao longo de 2018. Está tudo na edição Nº 719 da SÁBADO, nas bancas na quinta-feira, dia 8.

Capa n.º 719


pub
pub