Notícia

Segurança

Processo dos vouchers espiado 186 vezes, indica acusação ao Benfica

05.09.2018 16:38 por Eduardo Dâmaso
Paulo Gonçalves, assessor jurídico da Benfica SAD, é acusado de 79 crimes no âmbito do caso e-toupeira, que investiga o acesso que o Benfica terá tido a processos judiciais que envolviam o FC Porto e o Sporting.
Estádio da Luz
Foto: Sábado
Estádio da Luz
Foto: Sábado
Estádio da Luz
Foto: Sábado
Estádio da Luz
Foto: Sábado

Estádio da Luz geral III
Um inquérito que resultou de uma denúncia da Federação Portuguesa de Futebol após uma entrevista televisiva de Bruno de Carvalho a denunciar as ofertas do Benfica a árbitros, sob a forma de vouchers de refeição, foi espiado 186 vezes pelo funcionário judicial José Augusto Silva.

Os acessos ilegais são minuciosamente descritos na acusação e começaram às 10.30 do dia 14 de Março de 2017, prolongando-se até ao dia 3 de Março de 2018. Também aqui José Augusto Silva utilizou as credenciais de acesso da magistrada Ana Paula Vitorino. Guimarães e Fafe foram os tribunais de onde partiram as intromissões no sistema informático da justiça.

A acusação à SAD do Benfica e a Paulo Gonçalves foi conhecida hoje. A SÁBADO teve acesso a toda a acusação. Paulo Gonçalves é acusado de 79 crimes e a SAD do Benfica, de 30. 


pub
pub