Notícia

Segurança

GNR identifica 723 suspeitos de incêndio florestal só em 2018

07.08.2018 07:00 por Leonor Riso
Guarda Nacional Republicana fez 81 detenções. Polícia Judiciária deteve 16 pessoas até 6 de Agosto.
Monchique incêndios
Foto: LUSA / MIGUEL A. LOPES
Monchique incêndios
Foto: LUSA / MIGUEL A. LOPES
Monchique incêndios
Foto: LUSA / MIGUEL A. LOPES
Monchique incêndios
Foto: LUSA / MIGUEL A. LOPES
Monchique incêndios
Foto: LUSA / MIGUEL A. LOPES
Monchique incêndios
Foto: LUSA / MIGUEL A. LOPES

zonas ardidas
Milhares de operacionais, entre bombeiros e outros elementos da Protecção Civil, combatem desde sexta-feira o incêndio na Serra de Monchique. O fogo deflagrou pelas 13h30 de dia 3, no sítio da Perna da Negra e ainda não se sabe o que o causou. Mas só este ano, a Guarda Nacional Republicana (GNR) já identificou 723 pessoas pelo crime de incêndio florestal. Quanto a detenções, registaram-se 81 desde 1 de Janeiro, segundo dados facultados à SÁBADO.

Por outro lado, a Polícia Judiciária (PJ) indicou à SÁBADO a detenção de 14 pessoas até ao dia 5 de Agosto. Destas, 8 ficaram sob prisão preventiva e 1, sob prisão domiciliária. 13 detidos são do sexo masculino e a restante, do sexo feminino.

No dia 6 de Agosto, a PJ anunciou mais duas detenções, em Lousada e Paredes, ambas as localidades no distrito do Porto. A primeira realizou-se em parceria com a GNR e os Bombeiros de Lousada. O detido, de 42 anos, é suspeito de ter provocado intencionalmente sete incêndios em zonas florestais nas freguesias de Cristelos, Silvares e Boim. Vive em Lousada, é manobrador de máquinas e não tem antecedentes criminais.

As autoridades recolheram vários indícios de que o homem ateou pelo menos sete incêndios florestais recorrendo a chama directa durante a madrugada de dia 4 de Agosto - em plena onda de calor. Só a prontidão dos bombeiros fez com que o fogo não se descontrolasse. O suspeito foi presente a interrogatório judicial e ainda não foram decretadas as medidas de coacção.

pub
Em Paredes, o homem detido é suspeito da autoria de um incêndio florestal em Duas Igrejas. O homem provocou um incêndio com fósforos e líquido acelerante na sua própria viatura, ciente do perigo que constituía para as pessoas que viviam em redor e para a floresta. O homem provocou o incêndio no dia 3 de Agosto pelas 20h05.

O homem tem 35 anos e é desempregado. De acordo com informações prestadas pela PJ à SÁBADO, terá que se apresentar de três em três semanas às autoridades e será submetido ao tratamento da toxicodependência.


pub
pub