Notícia

Política

PCP quer novo escalão no adicional do IMI no Orçamento do Estado

12.09.2018 14:32 por Diogo Barreto
Novo escalão no adicional do IMI e englobar rendimentos superiores a 100 mil euros no IRS são medidas apresentadas pelo PCP para o Orçamento do Estado de 2019.
Foto: Sábado
IMI
Foto: Sábado
Ministério das Finanças
Foto: Sábado

IMI

O Partido Comunista Português (PCP) pretende criar uma taxa intermédia no adicional ao IMI no adicional ao IMI para os imóveis com valor superior a 1,5 milhões de euros e englobar obrigatoriamente no IRS todos os tipos de rendimentos.

Estas são duas das medidas que o PCP está a negociar com o Governo no âmbito do Orçamento do Estado para 2019, segundo o jornal Eco.

Segundo o deputado comunista Paulo Sá em declarações ao jornal Eco, o objectivo é tornar obrigatório o englobamento de rendimentos que hoje são tributados através de uma taxa liberatória de 28%. O PCP pretende que esta medida seja aplicada a rendimentos superiores a 100 mil euros e que se possa estender a rendimentos prediais, ou outros, como juros de aplicações de poupança ou dividendos com ações, como explica o jornal. 
Desta forma os comunistas apresentam uma medida que responde à proposta recentemente apresentada pelo Bloco de Esquerda e que pretende combater a especulação imobiliária, mas também financeira, explicou Paulo Sá, reforçando o carácter progressivo desta proposta que pretende substituir a taxa liberatória. "Ao englobar todos os rendimentos, a taxa apurada para o conjunto dos rendimentos faz com que quem tem mais rendimentos pague mais e quem tem menos pague menos. Melhora-se assim a tributação ao torná-la mais progressiva."

O deputado avança ainda que o PCP propôs ao Governo criar um novo para imóveis com valor patrimonial tributário superior a 1,5 milhões de euros, numa taxa que pretende "melhorar a progressividade do adicional ao IMI"

pub
Existem actualmente três escalões no adicional ao IMI. As casas com um valor patrimonial até 600 mil euros estão isentas do imposto, as casas com valor entre os 600 mil euros e um milhão de euros pagam 0,7% e acima de um milhão a taxa é de 1%.


pub
pub