Notícia

Política

JSD quer um novo pólo residencial universitário em Lisboa

11.09.2018 17:48 por Diogo Barreto
A JSD quer que o Estado dê resposta à necessidade dos alunos que têm de se mudar para Lisboa para prosseguirem estudos universitários e não conseguem fazer frente ao peso da renda.
Juros nos novos contratos de crédito à habitação sobem pelo segundo mês consecutivo
Foto: Sábado
Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

jovens habitação

A Juventude Social-Democrata defende a criação de um pólo residencial universitário no Distrito de Lisboa, tendo já apresentado uma petição pública para o efeito. A crise imobiliária em Portugal está a ser sentida em particular pelos estudantes universitários, que se deparam nos grandes centros universitários com pouca oferta  a preços elevados - até mesmo por um quarto, mostram dados recolhidos pela Federação Académica do Porto (FAP) e pela Federação Académica de Lisboa (FAL).

Segundo um comunicado enviado às redacções, a Juventude Social-Democrata (JSD) a defende a construção de um pólo residencial universitário que concentre numa única zona a oferta de milhares de camas. Com esta medida, a SD tenta dar resposta aos "milhares de estudantes deslocados que escolhem a capital e a Área Metropolitana de Lisboa para o Ensino Superior".

Segundo o presidente da JSD Distrital de Lisboa, Alexandre Poço, existem actualmente cerca de 28 mil estudantes deslocados na Área Metropolitana de Lisboa e que as residências universitárias têm camas disponíveis para apenas 9% desses estudantes". "Cerca de 25 mil estudantes sem cama numa residência terão de enfrentar um mercado imobiliário que exige hoje, em média, 450€/mês por um quarto. É uma situação dramática para milhares de jovens", lamenta Poço, citado pelo comunicado.

Com a construção deste novo pólo universitário, JSD espera criar um espaço que permita aos alunos continuarem a poder estudar em Lisboa "não tendo de abandonar o Ensino Superior por não conseguirem suportar os actuais custos altíssimos da habitação no cidade de Lisboa, mas também nos concelhos limítrofes".

pub

Segundo a juventude social-democrata, "cabe ao Estado responder quando o mercado não consegue resolver uma carência", lançando o apelo para que o Ministério do Ensino Superior e as Instituições do Ensino Superior de Lisboa iniciem estudos para que consigam chegar a consenso sobre onde seria mais consensual a localização do pólo residencial universitário.

"Este é um investimento bom para os estudantes, para as famílias e é um investimento bom para quem, como nós, acredita que as carências económicas não podem limitar a Educação de nenhum jovem português", diz em comunicado a JSD Distrital de Lisboa.


pub
pub