Zero quer travar poluição de águas subterrâneas

Diogo Barreto , Lusa 01 de setembro de 2017
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 29 de julho a 4 de agosto
As mais lidas

Existem 55 sistemas aquíferos contaminados com azoto amoniacal e nitratos, dos 62 espalhados por Portugal continental

Existem 55 sistemas aquíferos contaminados com azoto amoniacal e nitratos, dos 62 espalhados por Portugal continental, alerta a Associação Sistema Terrestre Sustentável - Zero, em comunicado, citado pelo jornal Expresso.

Jeff Swensen/Getty Images
Os ambientalistas, que consideram estes números "preocupantes", analisaram os dados do Sistema Nacional de Informação de Recursos Hídricos, relativos a 2011 e 2015, percebendo que os 55 sistemas afectados são os únicos com dados disponíveis, não havendo qualquer informação para os outros sete.

A culpa da poluição é atribuída à agricultura e pecuária intensivas, que usam azoto amoniacal, que chega aos solos pelas descargas da indústria pecuária ou pelo uso de estrume, e nitratos que provêm dos fertilizantes agrícolas.

A Zero encontrou poluição por azoto em 46 sistemas aquíferos e por nitratos em 29.

Nos cursos subterrâneos, divididos por quatro zonas (Maciço Antigo, Orla Ocidental, Orla Meridional e Bacia do Tejo-Sado), há 7.900 hectómetros cúbicos de água, "oito vezes mais do que as necessidades anuais de abastecimento público", afirma a Zero.

"Trata-se de um volume de água essencial para prevenir os riscos cada vez mais evidentes e recorrentes de escassez hídrica", mas "a poluição pode colocar em causa a utilização actual e futura destes recursos".

Nos dados analisados, provenientes do Sistema Nacional de Informação de Recursos Hídricos, contam-se 6.016 captações de águas subterrâneas de onde se retira 33% do total da água potável consumida no Continente.

"Muitos dos pontos de água poluídos coincidem com pontos de abastecimento público", frisa a Zero.

A lei em que se consagra a prevenção da poluição por nitratos, é "letra morta", concluiu a Zero, olhando para a prevalência da poluição com estes químicos, que existem em concentrações acima do máximo de 50 miligramas por litro em 42% dos aquíferos analisados.

A Zero quer saber que papel têm as direcções regionais e geral de Agricultura no meio deste "descontrolo total" e defende que se reúna informação sobre os sistemas para os quais não existem dados.

Por isso, defende que seja avaliado imediatamente o Programa de Acção para as Zonas Vulneráveis, e que sejam declaradas mais zonas e alargadas as existentes.

A associação ambientalista exige ainda que haja fiscalização eficaz nas explorações pecuárias, que têm que conseguir tratar as suas águas residuais.

Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais