União Europeia continua a "fingir que não há racismo em Portugal"

União Europeia continua a 'fingir que não há racismo em Portugal'
Diogo Barreto 29 de novembro de 2018

SOS Racismo considera que o Alto Comissariado para as Migrações da UE continua a tentar desvalorizar os casos de racismo verificados em Portugal.

A Agência dos Direitos Fundamentais da União Europeia assegura que Portugal tem uma baixa taxa de discriminação por motivos étnicos e raciais. José Falcão, da Associação SOS Racismo, não poupa críticas ao relatório da FRA (sigla em inglês) e ataca a "incompetência do Alto Comissariado para as Migrações" que continua a "fingir que não há racismo em Portugal".

"Estão sempre a procurar todos os motivos possíveis e imaginários para avançarem com esta teoria de que não há racismo em Portugal. Agora foi este relatório", disse José Falcão à SÁBADO, visivelmente perturbado pelas conclusões expressas no Being Black in the EU. E há uma instituição que, na opinião do activista pelos direitos humanos, deve ser culpada por esta tentativa de desvalorizar o racismo no país: o Alto Comissariado para as Migrações.

"Esse Alto Comissariado, só este ano, já recebeu 320 queixas de racismo. Quase o dobro do ano passado. E continuam a fingir que não se passada nada. Este relatório é só a gota de água que demonstra a impunidade completa e a incompetência deste Alto Comissariado", atirou um dos dirigentes da associação portuguesa, que considera que as próprias denúncias recebidas este ano – uma média próxima de uma por dia -, deviam ajudar o organismo a perceber que estas conclusões não são verdadeiras. "Não se percebem estas declarações de que há pouco racismo em Portugal, quando o próprio Comissariado afirma que registou um aumento enorme das queixas este ano. Em que é que ficamos, afinal?"

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais