Prejuízos dos incêndios custam seis vezes mais que prevenção

Alexandra Pedro 20 de julho de 2017

As associações Quercus e Acréscimo concluíram que a prevenção dos incêndios poderá custar 165 milhões de euros. Incêndios causam prejuízos de mil milhões

As associações Quercus e Acréscimo realizaram um cálculo relacionado com a prevenção florestal em Portugal, afirmando que custaria 165 milhões de euros por ano - valor bastante abaixo dos prejuízos anuais causados pelos incêndios: mil milhões de euros. 

"O preço anual da prevenção florestal em Portugal é de 165 milhões de euros por ano, valor muito abaixo dos prejuízos anuais causados à economia portuguesa pelos incêndios florestais, que estão avaliados em mil milhões de euros", pode ler-se no comunicado divulgado pela Associação Nacional de Conservação da Natureza.

A análise das associações teve em conta dados relacionados com a abertura de uma rede primária de gestão de combustíveis (faixas sem arborização, com a floresta planeada para diminuir a superfície percorrida pelos incêndios, proteger casas e estradas e isolar potenciais focos de incêndio), a abertura e beneficiação de caminhos florestais e a recuperação e restauro de casas florestais.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais