Portugueses davam 30% do salário para acabar com a pandemia

Portugueses davam 30% do salário para acabar com a pandemia
Diogo Camilo 28 de outubro de 2020

Quase metade dos portugueses gostaria que a vacina da Covid-19 chegasse primeiro a Portugal. E jovens estariam dispostos a dispensar maior parte do salário em comparação com os mais velhos para acabar com o vírus.

Quase metade dos portugueses gostaria que a vacina para a Covid-19 chegasse primeiro a Portugal e não se importariam de oferecer quase um terço do salário para que a pandemia acabasse. Um inquérito internacional mostra que os EUA são o país mais egoísta quanto a uma cura do novo coronavírus e que portugueses são mais cuidadosos com a pandemia, embora concordem cada vez menos com medidas restritivas.

Questionados sobre que país gostariam que recebesse a vacina da Covid-19 primeiro, 42% dos portugueses indicaram preferir que fosse em Portugal, com 52% a apontar que todo o mundo deve receber a vacina da Covid-19 em simultâneo e 6% defende que seja o país mais afetado pela Covid-19 a receber primeiro a vacina.

Neste momento, sete países já confirmaram mais de um milhão de infetados pela Covid-19: EUA, Índia, Brasil, Rússia, França, Espanha, Argentina e Colômbia, com os três primeiros a registarem também mais de 100 mil vítimas mortais da pandemia. De todos, o que tem mais mortes por 100 mil habitantes é o Brasil, mas o que tem mais casos é os EUA.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais