Nádia Piazza: "O meu filho não morreu intoxicado. Foi incinerado mesmo" Exclusivo

Ana Catarina André 17 de junho de 2019

Esperou que o novo filho nascesse para levantar a autópsia do que morreu. Só aí percebeu a mentira piedosa que lhe contaram durante meses. Já chorou com Assunção Cristas. Aceitou participar no programa do CDS sobre o Interior, mas fá-lo-ia com outros. Recorde a entrevista à SÁBADO.

Nádia Piazza soube que estava grávida um dia antes de perder o filho Luís, de 5 anos, o ex-marido e a sogra. Desse 17 de Junho de 2017, em que morreram 66 pessoas e mais de 250 ficaram feridas num dos maiores fogos florestais do País, nasceu a Associação de Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande. Um mês depois de ter sido mãe pela segunda vez, recebeu a SÁBADO em casa. Falou sobre a revolta que sentiu contra o Estado e os encontros com o Presidente e o primeiro-ministro. Diz-se indiferente às críticas dos socialistas.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais