Marcelo: "Primeira experiência de desconfinamento não teve resultados preocupantes"

C.A.C. 20 de maio de 2020

Presidente considera que os atuais números em Portugal relativos à pandemia de covid-19 são "muito coerentes" com o percurso epidemiológico no País.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considera que os atuais números em Portugal relativos à pandemia de covid-19 são "muito coerentes" com o percurso epidemiológico no País. As declarações do Chefe de Estado foram feitas à chegada ao restaurante Valenciana, onde ia nos tempos de estudantes e onde chegou a fazer reuniões políticas. 

"A primeira experiência de desconfinamento não teve resultados negativos ou preocupantes", disse o Chefe de Estado, alertando para a necessidade de esperar por junho para se fazer uma leitura da segunda fase que agora começou e que trouxe mais portugueses para a rua e abriu mais atividades económicas.  "Vamos ver no fim da próxima semana e na passagem para junho, o resultado deste segundo passo que estamos a dar de abertura da restauração, comércio, escolas e, portanto, aumento de convivência", recordou.

Ainda assim, o Chefe de Estado mostrou-se esperançado que tudo corra bem visto que, ao andar a pé por Lisboa, pôde constatar que "os portugueses continuam a aderir a uma progressiva normalização, tanto quanto possível, da sua atividade, mas com muito cuidado". "É isso mesmo que queremos", reforçou Marcelo. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais