Mais de 400 pessoas marcham contra a violência doméstica em Lisboa

Carolina R. Rodrigues 10 de fevereiro de 2019

O protesto foi organizado por oito pessoas sem filiações partidárias, após a oitava mulher vítima de violência doméstica ter morrido em Portugal desde o início do ano.

Centenas de pessoas reuniram-se este domingo num protesto contra a violência doméstica, que já provocou a morte de nove mulheres desde o início do ano. Os manifestantes caminharam desde o Marquês de Pombal até ao Parlamento, com balões a simbolizar as vítimas, e vão terminar a caminhada com uma concentração à frente do último.

A iniciativa foi organizada por oito pessoas sem filiações políticas através das redes sociais. Surgiu no Facebook após a oitava mulher em nove e vítima do flagelo desde o início de 2019 ter perecido há cerca de uma semana e meia A expectativa é "sensibilizar consciências para os trágicos acontecimentos que estão a decorrer desde o início do ano", explica Joana Marques, uma das organizadoras, citada pelo Jornal de Notícias.

"Temos a plena noção de que esta manifestação pode ser uma gota de água mas é importante para acordar poder político, os nossos decisores e a sociedade. Este é um exercício de cidadania", refere.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais