Juiz “doente” pelo Benfica pode decidir um caso dos e-mails

Juiz “doente” pelo Benfica pode decidir um caso dos e-mails
Leonor Riso 24 de janeiro de 2020

Os 50 anos de sócio, o lugar cativo no Estádio da Luz, a detenção de ações do Benfica e o convite para o Seixal não significam uma relação especial com o clube encarnado, diz presidente da Relação do Porto.

Eduardo Pires tem mais anos de Benfica do que de juiz. Aos oito anos, tornou-se sócio do clube da Luz, e, fiel, recebeu o emblema Águia de Ouro por 50 anos de dedicação. Também tem lugar cativo no Estádio da Luz e, para o Tribunal da Relação do Porto, bem pode ser um "doente" pelo Benfica, que isso não o impede de decidir o caso da divulgação dos emails dos encarnados por parte do FC Porto.

O juiz desembargador tinha pedido escusa do processo, mas o presidente da Relação do Porto, Nuno Ângelo Raínho Ataíde das Neves, decidiu o contrário. Na decisão a que a SÁBADO teve acesso, sublinha-se que ser sócio há mais de 50 anos "não pode significar uma estreita ligação entre o Juiz e o seu clube". Afinal, o Benfica foi considerado o clube com mais adeptos do mundo, e muitos também são Águias de Ouro. O juiz é "um mero associado e fervoroso adepto", o que não quer dizer que tenha uma relação mais estreita com o clube ou com as personalidades que o representam.

Pires não frequenta "qualquer camarote ou tribuna de gente conhecida ligada ao Benfica" pelo que alega o próprio. O juiz também considera que "sendo um Magistrado com 32 anos de carreira que sempre cumpriu tais deveres estatutários, ‘também neste processo, e apesar da sua filiação clubística, não deixaria de cumprir’".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais