Investigação SÁBADO. Uma Arrábida quase fora da lei

Cláudia Rosenbusch 07 de outubro de 2022

Os novos donos da Herdade da Comenda, em Setúbal, já construíram muros nas praias, vedaram caminhos pedestres e corta-fogos e até fecharam uma capela e respetivos acessos.

"Não há praias privadas em Portugal ou, pelo menos, não é legal que existam.” O comentário de António Lucas, ex-vogal da Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra (APSS), surge enquanto observa o muro construído em plena praia da Esguelha, na zona da Arrábida, em Setúbal. Primeiro olha, depois fotografa e ainda levanta o drone para filmar o cenário. Um muro em alvenaria e paliçado de madeira foi construído em plena praia, a menos de 50 metros da água, ou como diz o antigo administrador da APSS com o pelouro dominial, “em domínio público marítimo”. Durante a preia-mar, a água chega até ao muro.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais