Fernando Nobre junta-se aos anti-vacinas e anti-máscaras

Fernando Nobre junta-se aos anti-vacinas e anti-máscaras
Marco Alves 14 de setembro

Médico, fundador da AMI e ex-candidato presidencial, atacou médicos que ganham mais por trabalharem nos covidários (o que é falso) e disse que teve covid e que se curou (e à mulher e à filha) com azitromicina, hidroxicloroquina e ivermectina (fármacos já comprovadamente ineficazes).

Fernando Nobre, fundador da AMI, ex-deputado do PSD e ex-candidato presidencial, foi a estrela da manifestação que juntou dezenas de pessoas junto à Assembleia da República no passado sábado (11) contra a vacinação. Disse que estava ali "por um imperativo de consciência".

Nobre começou com uma alegoria da pesca ao espadarte, sendo que o espadarte somos "nós", que engolimos um "anzol". "Qual foi o anzol que quiseram que engolíssemos? A questão da pandemia. Quase médico há 45 anos, devo confessar-vos que muito do que aprendi já não existe. A definição da pandemia, era uma infeção generalizada com um alto índice de mortalidade. (...) Portanto, hoje, qualquer epidemia de gripe no mundo passará a ser uma pandemia".

Nobre diz ainda, prosseguindo na figura de estilo, que o isco da pesca ao espadarte foi "o teste RT-PCR", em que "93 a 97% são falsos positivos". Em consequência, "de repente as pessoas começaram a emprenhar o medo". Daqui resultou "um terror - um terror que vai de encontro a uma filosofia já muito antiga, de toda e qualquer ditadura".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais