Escolas continuam a gastar milhares de euros em chocolates e bolos

Cátia Andrea Costa 05 de janeiro de 2019

No último mês foram publicados mais de 30 contratos para a aquisição de produtos que as escolas devem evitar fornecer de acordo com as orientações de 2012.

As escolas continuam fornecer produtos como bolos, refrigerantes, bolachas e chocolates aos alunos, apesar das orientações para uma alimentação saudável nos bares das escolas que foram criadas, há seis anos, pela Direção-Geral da Educação, juntamente com a Direção-Geral da Saúde. As diretrizes incluíam uma lista de produtos que não deviam ser disponibilizados aos estudantes e impunham às direções, "tanto quanto possível", que fossem cumpridas.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais