E agora, todos contra Marcelo

No debate final com todos os candidatos presidenciais, todos escolheram atacar o Presidente que se recandidata. Que não se mostrou muito incomodado.

A questão de adiar ou não as eleições presidenciais foi a primeira a que os candidatos presidenciais responderam no debate a sete, na RTP. André Ventura abriu o debate acusando o Governo: "Não preparou devidamente o ato eleitoral", sustentou, recordando que em estado de emergência não é permitido fazer a revisão constitucional necessária.

Em vez do Governo, Ana Gomes lançou farpas a Marcelo. A candidata não se oporia ao adiamento das eleições, que "devia ser ponderado" face aos dados novos sobre o crescimento de casos de covid-19. Afinal, "não fazer campanha é desvalorizar, e não querer aparecer. O ato eleitoral não é uma coroação", frisou, sem que Marcelo tivesse ainda surgido no plasma ligado à sua casa em Cascais.

Se Ana Gomes alertou para a reunião do Infarmed e para a evolução exponencial da pandemia, João Ferreira apontou que "é possível fazer campanha com regras de proteção da saúde". "Era importante, da parte das autoridades e do Governo, garantir que tudo está a ser feito, desde agora, para que as pessoas possam ir votar. Não devem contribuir para uma sensação de alarmismo", disse.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais