Costa admite fechar as escolas se o cenário piorar

Costa admite fechar as escolas se o cenário piorar
Mariana Branco 19 de janeiro
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 25 de fevereiro a 3 de março
As mais lidas

No Parlamento, o primeiro-ministro colocou em cima da mesa a possibilidade de fechar as escolas se a estirpe inglesa da covid-19 se tornar dominante no País.

costa
costa António Cotrim/Lusa

António Costa admitiu esta terça-feira, no Parlamento, fechar as escolas se a estirpe inglesa da covid-19 se tornar dominante em Portugal. "Se para a semana soubermos, se amanhã soubermos, se daqui a 15 dias soubermos, por exemplo, que a estirpe inglesa se tornou dominante no nosso País, então, muito provavelmente, vamos ter mesmo de fechar as escolas", disse o primeiro-ministro na abertura do debate sobre política geral na Assembleia da República.

"Neste momento, estamos a bater-nos para manter as escolas abertas, já que sabemos o enorme custo social que representa fechá-las. Na quarta-feira, vamos iniciar uma campanha de testes rápidos em todas as escolas, tendo em vista reforçar a segurança", disse o líder do executivo. 

Em resposta, pelo PSD, Adão Silva ripostou: "Então vai começar agora nas escolas os testes rápidos? Porque é que não começou mais cedo, sr. primeiro-ministro?".

Na quarta-feira, as escolas com ensino secundário de concelhos de risco extremamente elevado vão começar a utilizar testes de antigénio como parte da campanha de testagem rápida para detetar casos de covid-19 nos estabelecimentos de ensino.

Na próxima terça-feira, o quadro geral de medidas de combate à covid-19, incluindo a abertura das escolas, vai ser ponderado em nova reunião com especialistas e audiências aos partidos.

"Na semana que vem, terça-feira haverá uma sessão epidemiológica e na sequência do isso haverá a renovação, mais uma, do estado de emergência. Eu ouvirei os partidos na própria terça-feira. E nessa ocasião se ponderará o quadro geral das medidas, nomeadamente a questão das escolas", declarou Marcelo Rebelo de Sousa, no Campus de Carcavelos da Universidade Nova de Lisboa.

Questionado se faz sentido manter abertas as escolas, o chefe de Estado e recandidato ao cargo respondeu que "é isso que vai ser ponderado na sessão aberta" de terça-feira com especialistas sobre a situação da covid-19 em Portugal, que acontecerá dois dias depois das eleições presidenciais de domingo.

"Como sabem, as sessões são abertas na parte que é muito importante em que os especialistas dizem o que pensam, e vai ser importante ouvir os especialistas dizerem na terça-feira o que pensam sobre as escolas", acrescentou, referindo que "há pontos de vista diferentes quanto aos vários graus de ensino".

Com Lusa.

Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Opinião Ver mais