Como Berardo deu a “golpada” aos bancos

Em 2016, depois de ter chegado a um acordo com os principais bancos credores, Joe Berardo alterou os estatutos da sua associação. A SÁBADO revela os documentos.

Foi em 2016 que, após terem negociado um acordo para o pagamento da dívida, que os três bancos credores do comendador - Caixa Geral de Depósitos, Millennium BCP e Novo Banco - se aperceberam que o que Joe Berardo tinha dado como penhor, afinal, não podia ser penhorado.

À época, o acordo incidiu sobre os títulos de participação na Associação Colecção Berardo, a proprietária da vasta colecção de arte contemporânea do empresário. Porém, a 22 de abril de 2016, já depois do acordo, a Assembleia Geral da Associação reuniu sem a presença dos bancos e procedeu a uma alteração dos estatutos, ficando a constar na "nova" versão que a decisão de entrega dos títulos de participação como colateral ou penhor tinha que ser ratificada pela própria Assembleia Geral.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação