Associação de Bioética pede critérios para internar pacientes com Covid-19 nos Cuidados Intensivos

Associação de Bioética pede critérios para internar pacientes com Covid-19 nos Cuidados Intensivos
Leonor Riso 27 de março de 2020

Num cenário em que os serviços não consigam receber todos quantos deles necessitem, que regras devem ser seguidas pelos profissionais de saúde?


Se em Portugal se registar uma afluência às unidades de cuidados intensivos maior do que a que os serviços consigam suportar, que pacientes têm prioridade face aos outros? "É urgente antecipar a possibilidade de o Serviço Nacional de Saúde (SNS) não conseguir dar resposta atempada a todos os doentes infetados pelo COVID-19 que necessitem de ser internados nas unidades de Cuidados Intensivos", defende Rui Nunes, presidente da Associação Portuguesa de Bioética (APB). 

Num comunicado de imprensa, são dadas algumas sugestões. Entre elas, o de a idade não ser o único elemento a determinar a prioridade ou não de um doente e a da consulta da Diretiva Antecipada de Vontade (Testamento Vital ou Procurador de Cuidados de Saúde). A APB defende ainda que as ordens profissionais (como a dos Médicos ou Enfermeiros) devem ser chamadas a aprovar os critérios de admissão aos cuidados intensivos, que serão implementados por todo o país. 

"Face a situações de escassez de recursos e à impossibilidade de admissão de todos os doentes que necessitem de cuidados intensivos, deve valorizar-se a maximização da sobrevivência até à alta hospitalar, a maximização do número de anos de vida salvados, ou a maximização das possibilidades de viver cada uma das etapas da vida", lê-se no comunicado.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais