As perguntas que Vitor Constâncio está obrigado a responder

As perguntas que Vitor Constâncio está obrigado a responder
Diogo Barreto 18 de junho de 2019

Na primeira audição na comissão de inquérito à Caixa, antigo governando do Banco de Portugal esqueceu-se de mencionar o acompanhamento que o supervisor fez da operação de crédito a Joe Berardo. Esta terça-feira Constâncio volta à comissão de inquérito.

O ex-governador do Banco de Portugal Vítor Constâncio volta esta terça-feira ao parlamento para ser novamente ouvido na comissão de inquérito à Caixa-Geral de Depósitos (CGD). Esta segunda convocatória acontece depois de se saber que a sua administração autorizou um reforço da Fundação Berardo no BCP através de um crédito de 350 milhões de euros da CGD. Constâncio disse não ter estado envolvido na autorização da operação, mas documentos provam que foi a sua administração a autorizar o aumento de posição da Fundação Berardo no BCP, mesmo que o ex-governador não tenha estado na dita reunião.   

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação