Aristides vai ter homenagem no local onde deveria nascer Museu Judaico de Lisboa

Aristides vai ter homenagem no local onde deveria nascer Museu Judaico de Lisboa
Margarida Davim 21 de dezembro de 2020

Projeto tinha sido aprovado no Orçamento Participativo de 2018/19, mas só agora vai a votos a proposta para tornar realidade a homenagem em Lisboa Aristides de Sousa Mendes, o cônsul português que salvou milhares de vidas durante o Holocausto.

É em Alfama, no local para onde até há pouco tempo estava previsto nascer o Museu Judaico de Lisboa, que deverá ficar o memorial evocativo de Aristides de Sousa Mendes. A proposta vai a votos em reunião de Câmara esta segunda-feira.

Tardava em acontecer em Lisboa a homenagem ao cônsul português que ajudou milhares de judeus a escapar ao Holocausto na Segunda Guerra Mundial. Mas a polémica causada pelo projeto de arquitetura para o Museu Judaico que estava projetado para Alfama pode acabar por ser a oportunidade para encontrar um espaço para recordar o seu legado. É, pelo menos, esse o espírito da proposta subscrita por Fernando Medina e Catarina Vaz Pinto, que pretende concretizar uma ideia que já tinha sido aprovada no Orçamento Participativo de 2018/19.

Na proposta a que a SÁBADO teve acesso, recorda-se a ação do "movimento popular, dinamizado pela Associação do Património e da População de Alfama (APPA)" na defesa da ideia de que o projeto de arquitetura aprovado para o Museu Judaico de Lisboa "descarateriza o Largo de São Miguel e o Bairro de Alfama", havendo já uma providência cautelar deferida e um processo judicial a aguardar desfecho para impedir as demolições necessárias para construir o museu.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais