2ª fase de acesso: aeroespacial no pódio, mas outra engenharia tem 19,6

2ª fase de acesso: aeroespacial no pódio, mas outra engenharia tem 19,6
Sara Capelo 26 de setembro de 2019

Engenharia e Gestão Industrial fica em primeiro lugar, num concurso que colocou mais de 9 mil estudantes

Na segunda fase de acesso ao ensino superior, apenas um candidato conseguiu entrar em Engenharia e Gestão Industrial na Universidade do Porto. Mas apresentou-se com a média mais alta desta fase (195,8), relegando outra engenharia (Aeroespacial, no Instituto Superior Técnico e que registara a nota mais alta na primeira fase do concurso) para o segundo lugar. Ainda assim, o último dos dois candidatos que conseguiram entrar nesta faculdade lisboeta teve 194,5, de média final. E o Técnico fecha aliás o pódio, com os 194,3 valores em Engenharia Física e Tecnológica.

A média mais alta a Medicina foi na Nova de Lisboa (que colocou três candidatos, o último deles com 193,3 valores), seguem-se o Instituto de Ciências Médicas Abel Salazar (dois candidatos, 193,7 valores) e a Universidade do Porto (um candidato colocado com nota de 192,3). Nos nove cursos de Medicina no País, não sobraram vagas para uma terceira fase. 

Nesta segunda fase de acesso ao ensino superior, cujos resultados são divulgados esta quinta-feira no site da Direção Geral do Ensino Superior (DGES), ficaram colocados 9.274 estudantes dos 18.195 candidatos. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais