Notícia

Autárquicas

Membro da lista do PSD diz que Passos matou partido em Lisboa

29.09.2017 13:13 por Diogo Barreto
Numa entrevista Sofia Vala Rocha deixa críticas duras a Teresa Leal Coelho - que "não sabe fazer política" -, a Passos Coelho e ao próprio PSD
Foto: António Pedro Santos/Lusa
Foto: António Pedro Santos/Lusa
Foto: António Pedro Santos/Lusa
Foto: António Pedro Santos/Lusa
Foto: António Pedro Santos/Lusa
Foto: António Pedro Santos/Lusa

Teresa Leal Coelho
Apesar de fazer parte da lista do PSD à Câmara Municipal de Lisboa, Sofia Vala Rocha não se inibe de tecer críticas ao partido, ao presidente do mesmo e à candidata que apoia. Chega mesmo a acusar Pedro Passos Coelho de ter matado o maior partido da oposição na capital.

Numa entrevista dada ao Diário de Notícias, Vala Rocha considera que se registaram vários erros de estratégia na campanha, entre eles, a escolha de pessoas para o município da capital. O grande culpado para a política é o líder do partido social-democrata: "Pedro Passos Coelho, depois de não ter mantido o governo em 2015, pensou que ia voltar rapidamente ao poder e, portanto, achou que as autárquicas não eram uma eleição importante e não era importante a eleição em Lisboa", acusa Vala Rocha.

A mesma continua ainda dizendo que Pedro Passos Coelho leu mal a situação que se impunha depois da coligação PáF não ter conseguido a reeleição: "[Passos] iu no CDS um parceiro e não quis tomar as decisões que se impunham e que eram de autonomia estratégica da candidatura do PSD em Lisboa", dizendo ainda que considera que o líder social-democrata "matou o PSD em Lisboa e foi um homicídio qualificado".

Sobre a candidatura para Lisboa de Teresa Leal Coelho - que não era a primeira escolha do partido -, a social-democrata questiona a decisão de ter escolhido como candidata uma pessoa que "manifestamente não gosta de fazer política, não sabe fazer política, não gosta de debater, não gosta de ir à televisão e não gosta de confrontar adversários".

A dissidente deixa ainda uma crítica ao facto de o PSD se candidatar na capital sem ser para ganhar. "Concorrer para um segundo lugar já é muitíssimo mau."

pub
Sobre o porquê de ter aceitado integrar mesmo assim a lista, explica que faz parte porque passou os últimos quatro anos na Assembleia Municipal, "a trabalhar pelo PSD, para o bem do PSD, mas sobretudo para o bem da cidade e dos lisboetas", garantindo que os sociais-democratas fizeram muito bem pela cidade.


pub
pub