Notícia

Portugal

Pedro Dias: Dados como provados três crimes de homicídio qualificado

08.03.2018 16:11 por Leonor Riso
Leitura do acórdão ocorre esta tarde no Tribunal da Guarda.
Foto: Cofina Media/Lusa
Foto: Cofina Media/Lusa
Foto: Cofina Media/Lusa
Foto: Cofina Media/Lusa
Foto: Cofina Media/Lusa

Pedro Dias II

Está a ser lida a sentença de Pedro Dias, acusado de ter morto três pessoas em Aguiar da Beira. Em causa estão três crimes de homicídio qualificado sob a forma consumada, três crimes de homicídio qualificado sob a forma tentada, três crimes de sequestro, crimes de roubo de automóveis, de armas da GNR e de quantias em dinheiro, bem como de detenção, uso e porte de armas proibidas.

Durante a leitura da sentença, o juiz Marcos Gonçalves frisou, no Tribunal da Guarda: "A morte de Carlos Caetano [militar da GNR] resulta dos ferimentos do disparo. A morte de Luís Pinto resulta das lesões traumáticas do disparo. As lesões traumáticas de Liliane Pinto, que ficou em estado vegetativo resultam dos disparos. A morte de Luís Pinto foi muito rápida devido aos ferimentos provocados e não terá tido consciência do seu estado após o disparo."

"Entende o tribunal que se pode justificar a alteração e agravamento da qualificação de alguns dos crimes", indicou o juiz. Desta maneira, os crimes foram agravados.

Depois, o juiz deu como provado os três crimes de homicídio qualificado (de Liliane e Luís Pinto, e de Carlos Caetano). 

pub

O Ministério Público pediu a pena máxima de 25 anos de prisão para Pedro Dias.


pub
pub