Edições do dia Manhã Tarde
Secções

Ministério Público mandou PSP vigiar e fotografar jornalistas

SÁBADO 12 de janeiro

Uma procuradora do DIAP de Lisboa decidiu, sem autorização de um juiz, colocar a polícia a seguir os passos de dois jornalistas. Veja as fotos das vigilâncias e as anotações da polícia na edição semanal da SÁBADO


A procuradora Andrea Marques do Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa ordenou e a PSP cumpriu: fazer vigilâncias a jornalistas. Os alvos da magistrada do Ministério Público foram dois: Carlos Rodrigues Lima, jornalista da SÁBADO, e Henrique Machado, ex-jornalista do Correio da Manhã, atualmente na TVI. Com tal diligência, segundo o processo, a procuradora quis saber com quem é que ambos os jornalistas contactavam no universo dos tribunais, apesar de a investigação em causa dizer só respeito a uma eventual violação do segredo de justiça no caso E-toupeira.

O departamento de vigilâncias da PSP colocou-se no terreno e durante vários dias (entre abril e junho de 2018) seguiu, pelo menos, os passos de Carlos Rodrigues Lima, fotografando-o em frente ao Departamento Central de Investigação e Acção Penal, onde os agentes registaram um cumprimento circunstancial entre o jornalista e o procurador José Ranito, que liderou a investigação do caso BES, e no Campus da Justiça, em Lisboa.

Pela primeira vez em democracia, o Ministério Público liderado por Lucília Gago mandou seguir e fotografar jornalistas e vasculhou as suas contas bancárias. A operação foi ordenada a agentes encobertos da PSP para devassar fontes de informação. A vigilância ocorreu até à porta das redações.


A diligência foi ordenada à PSP sem qualquer mandado de um juiz de instrução, nem a procuradora deste processo revelou qualquer preocupação legal com a quebra do sigilo do jornalista através da vigilância. Segundo a lei, só um tribunal superior pode ordenar a quebra do sigilo dos jornalistas.

"Assim, determino à PSP que proceda às diligências necessárias a alcançar tal desiderato relativamente a Carlos Rodrigues Lima, subdiretor e jornalista da revista SÁBADO, e Henrique Machado, jornalista do Correio da Manhã", escreveu a procuradora, em abril de 2018


Esta noite, o DIAP regional de Lisboa emitiu um comunicado, no qual procura justificar a atuação da procuradora Andrea Marques

Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Para continuar a ler
Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Artigos Relacionados
Aqui vai ficar a recomendação
Investigação
Investigação

A vida desconhecida de Maud Queiroz Pereira

TextoAna Taborda
Portugal

Infiltrámo-nos no movimento negacionista

TextoAlexandre R. Malhado
Investigação

Dina e Mena, os dois amores de Otelo

TextoLuís Pedro Cabral
Investigação

A vida de luxo de Nuno Vasconcellos no Brasil

TextoHudson Corrêa
As mais lidas