Vinte anos de Lebowski
João Pereira Coutinho Politólogo, escritor
29 de setembro de 2018

Vinte anos de Lebowski

A raiz do mal das depressões e ansiedades juvenis é a mesma: uma diminuta tolerância à frustração e à imprevisibilidade. Uma diminuta tolerância à vida como ela é.

Diariamente, lá recebo notícias do inferno. Falo do inferno juvenil, onde vivem os juvenis com as suas depressões e ansiedades. O que se passa com a geração que tem metade da minha idade?

A culpa é da Internet, garantem especialistas vários que não perdoam as vidas de farsa que cada um constrói para enganar os outros e se enganar a si. Admito que sim. Ou, então, talvez a culpa seja da "economia líquida", como diria o outro, que não garante estabilidade ou retorno. Pela primeira vez no pós-guerra, as meninas e os meninos podem ter um futuro mais precário do que os pais, li algures. Isso não contribui para uma saúde mental vigorosa.

Verdade que, entre a depressão e a lamúria, alguns ainda tentam reagir. Mas são reacções neuróticas, psicóticas, desesperadas: exigem "espaços de segurança" nas universidades e não toleram ideias "desconfortáveis". A raiz do mal é a mesma: uma diminuta tolerância à frustração e à imprevisibilidade. Uma diminuta tolerância à vida como ela é.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais