Paz nas ruas e guerra dentro das casas
José Pacheco Pereira Professor
12 de abril de 2020

Paz nas ruas e guerra dentro das casas

A ideia de que a “crise toca a todos” é obviamente falsa. Não toca e, mesmo que toque, não é da mesma maneira. Há quem tenha condições para se defender melhor, há quem não tenha

Alguém imagina o que se está a passar em casa de muitos portugueses, onde a mistura do confinamento, muitas vezes em espaços exíguos, sem dinheiro, sem grande capacidade ou oportunidade de mobilidade, com uma televisão e muitos olhos a quererem ver o que ela dá, com um pacote de Internet escasso e provavelmente já esgotado, com telemóveis a tocar e sem privacidade para responder a todas as chamadas, com crianças, adultos, velhos, todos juntos, às vezes pela primeira vez, com os adolescentes sem poderem sair à noite, mulheres sobrecarregadas com os trabalhos de casa e sem ninguém para ajudar, crianças pequenas a berrar toda a noite, todas as antigas animosidades à solta, a que se acrescentam os novos conflitos nascidos naquele apartamento em qualquer subúrbio. Imaginem bem, há todas as condições para ser o "inferno são os outros".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais