Alexandre Mestre Advogado, doutor em Direito e docente de Direito do Desporto
06 de dezembro de 2016

"Diga, apenas, sim ou não, sr. primeiro-ministro"

O título da crónica de hoje é a tradução livre do Editorial do corrente número da revista inglesa Diver e surge em modo de apelo, na defesa daqueles que estarão a viver momentos de "raiva" e de "impaciência"

O título da crónica de hoje é a tradução livre do Editorial do corrente número da revista inglesa Diver, escrito pela pena de Steve Weinman (Just say yes or no, Prime Minister). Surge em modo de apelo, na defesa daqueles que estarão a viver momentos de "raiva" e de "impaciência". A partir deste texto mergulharemos (não encontramos melhor palavra…) na realidade nacional para uma breve reflexão em torno da dimensão jurídica da interpenetração entre desporto, negócio e segurança.

 

Primeiro, então, o referido Editorial. Que se passa, afinal? Sucede que há um ano o Governo do Reino Unido proibiu voos até Sharm el Sheikh, na sequência de um ataque terrorista perpetrado por um avião Russo. Ora essa proibição permanece ainda hoje. Nesse contexto, muitos mergulhadores deixaram de poder deslocar-se àquela cidade do Egipto, que será hoje uma espécie de "cidade-fantasma". Diz Steve Weinman que para muitos mergulhadores a visão é "ou Sharm ou nada", sendo que as alternativas a essa viagem ao Mar Vermelho são mais caras e que as vias indirectas de lá chegar são muito confusas e complicadas, sobretudo para quem quer viajar em família.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais