André Silva Porta-voz e deputado do PAN
18 de março de 2019

As televisões decidiram ressuscitar o Marialva português

"Ainda que sejam programas de entretimento, toda a sua envolvente reproduz uma certa cultura antiquada e residual do Marialva português que é nociva à sociedade por várias razões que não têm que ver com a apreciação, ou não, destes formatos televisivos."

O principal tema da agenda mediática da semana passada foi o drama da violência de género associado à indignação coletiva sobre as sentenças do juiz Neto de Moura e à celebração do Dia Internacional da Mulher. Como é que a partir desse debate social público que encontra o principal eco nos meios de comunicação social, duas televisões privadas (SIC e TVI) decidem emitir programas no horário nobre de Domingo à noite a objectificar as mulheres e a reforçar estereótipos extremamente prejudiciais, é mais um daqueles fenómenos do insondável que só o lucro pode justificar objectivamente. Os programas – Quem quer namorar com o agricultor? da SIC, e Quem quer casar com o  meu filho?, da TVI – colocam várias mulheres a competir pela atenção de homens que procuram um relacionamento, sujeitas a questionários que, no segundo caso, são assistidos pelas mães dos candidatos.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais