A cultura deu à Costa

02-06-2020 Já de pijama fofo, sem estampados de Almada ou de Pomar, lançou os dedos à mesinha: nada. O volume de Camilo escapulira-se, e nem um Afonso Cruz para a amostra. Antes de fechar os olhos ainda pensou: “É melhor dar 1 milhão de euros a estes gajos”

Semáforos ao sol

26-05-2020 Caso um concessionário cometa três infrações seguidas, as autoridades reservam-se o direito de soltar José Sócrates em equipamento de jogging na praia

Os talibãs

19-05-2020 Há uma cortina escura de irracionalidade no discurso ideológico, uma crença de que sabemos como o mundo realmente é. Tal como a religião, a ideologia transborda de fundamentalistas e extremistas

Desconfinar: os 10 mandamentos

12-05-2020 Não levantar falsos testemunhos sobre a confiança exasperante de António Costa, o sentido de Estado de Rui Rio, a equidistância institucional de Ferro Rodrigues e a epidemia neokeynesiana dos economistas

Desinfecte-se

05-05-2020 As receitas de Trump (adaptadas): 20 cc de álcool etílico sanitário, terebentina e tintura de iodo para a traqueia de António Costa, a ver se acalma um bocadinho com os palpites de distanciamento social

A arte de amar à distância

28-04-2020 Se a arte de amanhã tiver menos sexo, desejo e fisicalidade do que a arte de ontem, poderá ser um espelho dos nossos cem dias de solidão, mas não fará justiça ao que fomos, somos e queremos ser

A companhia dos lobos

21-04-2020 De Quioto a Elvas, há lobos em todas as casas, recordando-nos o quanto devemos ao mundo dos bichos antes de nos tornarmos bestas. Porque os cães que tanto amamos não são mais do que lobos geneticamente modificados pelo convívio com o Homo sapiens

Uma solução: a imortalidade

14-04-2020 Se Thiel, Larry Page ou Musk sonham com o aperfeiçoamento genético, a criogenia e a busca da vida eterna em foguetões extrassolares, seremos nós, os de pés assentes na Terra, a decidir se o mundo do dia seguinte à pandemia prefere o equilíbrio ou o delírio

As nossas almas ardem como cigarros

07-04-2020 Fazem-se máquinas de roupa como robôs, lava-se a louça em transe, marca-se o ponto no discreto bunker a que chamávamos casa. Já não o é. É o endereço mais improvável da nossa prisão

O inimigo genial

31-03-2020 Vivemos no planeta das bactérias e dos vírus. Elas e eles foram os primeiros. Elas e eles serão os últimos. Somos meros convidados no seu habitat natural: não precisam de nós, e podem matar-nos a qualquer momento. Mas não sobreviveríamos um dia sem eles
Veja mais