Má Raça
Pedro Marta Santos
09 de junho de 2020

Má Raça

Na ficção, podemos morrer sem amor, mas ao menos o sexo é de livre acesso; na realidade, o desejo precisa de máscaras de pano e zonas de desinfecção. Quando a pandemia terminar, de que má raça seremos feitos?

Leos Carax faz filmes porque não tem ninguém com quem falar. "A outra pessoa é inacessível." Carax é um pouco louco e intensamente misantropo, mas tem uma paixão por fazer ruir muros e montanhas. Num encontro romântico ou à mesa do café, cala-se. No cinema, a sua voz ressoa com energia pelo miasma das grandes cidades. Décadas antes de Her, de Spike Jonze, colocar Joaquin Phoenix a tombar de amor pela voz de um sistema operativo, Denis Lavant, o alter ego do cineasta nas sombras (se Carax flirta com a demência, Lavant é doido varrido), apaixona-se perdidamente por uma voz feminina num intercomunicador, em Boy Meets Girl (1984).

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais