As mãos de Miller

25-09-2018 As peças All My Sons e A Morte de um Caixeiro Viajante resumem o talento de Miller: puxar a tragédia das profundezas, manter os contornos míticos nas heras venenosas do subtexto, duplicar a lição de Ibsen, olhar para o sonho americano como quem olha para uma farsa e jamais recusar a ascese autobiográfica.

Mudar de clima

18-09-2018 Ao acolher a organização de uma conferência de negacionistas da influência humana nas alterações climáticas, a Universidade do Porto abriu um precedente cujas consequências reputacionais poderá não controlar.

Deus Existe e o Seu Nome é Alexa

11-09-2018 A pequena torre de IA com software de (doce) voz nos lares globais está programada para nos enviar produtos que queremos antes de sabermos que os queremos e muito antes de os decidirmos comprar.

Ninguém sabe nada

04-09-2018 O clã Balsemão pode não saber nada sobre o futuro da TV. Mas se ofereceu 1 milhão de euros por ano a Cristina, é porque a sua equipa comercial e de marketing lhe garantiu que ela valia todos os centavos.

A Madeleine de Leone

28-08-2018 Os gangsters do filme de Sergio Leone são zés-ninguém, e o seu destino está marcado: permanecerão párias, marginais, fantasmas sem acesso ao mundo que tanto desejavam.

Turistas e viajantes

21-08-2018 Em mistura de preguiça militante e mariquice incurável, sou uma espécie de Dalai Dama dos turistas (pelo menos da minha rua).

O triunfo do rabo

14-08-2018 O rabo grande como argumento maior de sex appeal é um movimento de libertação, substituindo ao mesmo tempo as maminhas enquanto força centrífuga do olhar masculino

Turistas e viajantes

06-08-2018 O turista gosta de comodidade e vai sempre na perspectiva de regressar; o viajante gosta de aventura e vai sempre na possibilidade de ficar. Em mistura de preguiça militante e mariquice incurável, sou uma espécie de Dalai Dama dos turistas.

O barão Cohen

31-07-2018 Em Portugal, os millennials vivem em perpétua corrida académica, sem casa própria (só arrendada, e a preços do Dubai para Lisboa ou Porto), sem poupanças e desprovidos de qualquer tipo de estabilidade laboral

Um amanteigado amor

24-07-2018 A primeira pessoa de quem digo mal é de mim próprio, o que me tem precavido de alguns exageros; depois, amo tantas coisas e com tal intensidade que uma prosa semanal reproduzindo esse afecto provocaria diabetes, hipertensão e ataques de choraminguice
Veja mais