Os que têm coração
Nuno Costa Santos
19 de junho de 2017

Os que têm coração

Na hora da crónica, chega Armando Silva Carvalho, poeta que morreu no passado dia 1 de Junho, aos 79 anos, recordado nos obituários como um dos maiores da literatura portuguesa contemporânea

Na hora da crónica, chega Armando Silva Carvalho, poeta que morreu no passado dia 1 de Junho, aos 79 anos, recordado nos obituários como um dos maiores da literatura portuguesa contemporânea. Lembro a sua poesia construída e quotidiana, a sua palavra vulnerável e sardónica. Tiro da estante o volume com a sua obra poética de 1965 a 2005, O Que Foi Passado a Limpo, e volto a ler As Pequeninas Coisas. Diz, não sem algum mistério, a dado passo: "(…) elas, as pequeninas coisas,/ bem pouco se parecem com a política/ ou com essa gramática que se usa agora/ enquanto se espera pelo almoço (…)". As pequeninas coisas. Era isso que parecia ficar a salvo do seu riso triste. Ah, e o mar, consagrado em título no seu último livro, A Sombra do Mar, no qual se detém na verdade do seu próprio envelhecimento.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Opinião Ver mais