23 de dezembro de 2017

Perdedores & predadores

Em países pobres, ou com maior tradição de pobreza, qualquer esmola é vista pelos mendigos como uma benesse dos chefes. Donde, para quê mudar de chefes? António Costa, que intuitivamente sabe disto, limita-se a agir em conformidade

Conheço gente do psd que anda com a cabeça caída. E perdida. Uma sondagem recente mostrou que o PS continua acima dos 40% – e os sociais-democratas, ainda sem líder, vegetam cá para baixo, na casa dos 20 e tal. Como é possível?

Sim, como é possível explicar a popularidade de um Governo quando o País arde; as armas são roubadas dos quartéis; um hospital público infecta e mata doentes com legionela; sem falar das pequenas mentiras que se descobrem todos os dias? A resposta é dupla: porque há dinheiro e não há oposição.

Sobre o dinheiro, nada a dizer: qualquer estudo sério sobre opções eleitorais – sugestão de leitura: Democracy for Realists, de Christopher Achen and Larry Bartels – relembra continuamente que a carteira é o indicador mais importante. Se houver dinheiro, ou se a banca o emprestar, questões aparentemente severas (como a corrupção ou a "ética" dos governantes) interessam para muito pouco – e interessam a muito poucos.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais