Um espectáculo mirabolante
João Pedro George
06 de janeiro

Um espectáculo mirabolante

Tal como o McDonalds introduziu nas ementas nacionais a sopa à lavrador, Manguel despeja no Expresso o seu caldo requentado. Mas polvilha os textos com meia dúzia de referências ao gosto português.

Neste último Verão, no meio da pandemia catastrófica em que nos encontramos, fomos tomados por uma notícia animadora, que acendeu um clarão de alegria: Alberto Manguel, ensaísta e bibliófilo, ia doar à cidade de Lisboa a sua colecção pessoal de cerca de 40 mil livros. A comoção foi geral. Porque, enfim, ainda havia na terra pessoas capazes de gestos duma generosidade larga.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais