O misterioso cofre da mãe de Sócrates
Eduardo Dâmaso Director
28 de novembro de 2019

O misterioso cofre da mãe de Sócrates

O cofre de que nos fala Sócrates é uma versão antiga dos cofres metafóricos das contas na Suíça ou em offshores, que pagam muita coisa a gente como ele, Duarte Lima, Manuel Pinho e outros. Gente que anda há muito a encher os bolsos na política

O misterioso cofre da mãe de Sócrates, que não tinha fundo nem deixa rasto, é mais do que uma anedota. É certo que é uma piada poderosa e que reduziu Sócrates a uma piedosa anedota. Mas é, sobretudo, uma trágica metáfora de uma forma de exercer o poder, totalmente opaca sobre a origem dos rendimentos dos políticos e de captura da verdade sobre a gestão do erário público. Uma metáfora que Sócrates elevou ao expoente máximo da velha e histórica liturgia sobre a duplicidade do poder, que tem sempre duas verdades, duas morais e duas contabilidades.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Opinião Ver mais