Viagem a Plutão
Raquel Serejo Martins Escritora
12 de fevereiro de 2018

Viagem a Plutão

Com o sentimento de ter pela frente uma missão espacial com destino ao mais longínquo dos planetas convidou-a para uma ida ao cinema, sessão da tarde ou matiné, que não tinha, tinham, idade nem autorização para saídas nocturnas em solitário, entenda-se sem supervisão dos progenitores ou outro adulto da confiança dos mesmos

Com o sentimento de ter pela frente uma missão espacial com destino ao mais longínquo dos planetas convidou-a para uma ida ao cinema, sessão da tarde ou matiné, que não tinha, tinham, idade nem autorização para saídas nocturnas em solitário, entenda-se sem supervisão dos progenitores ou outro adulto da confiança dos mesmos.

Convidou-a e, para mais, ela aceitou.

Um sim que o fez sentir-se um Armstrong a pisar solo lunar, a enfiar no chão o estandarte de uma bandeira, tal que a primeira bandeira em Plutão, verde na tralha, vermelho na batente, mais vermelho do que verde, que o pessimismo dispensa quase todos os tipos de esperança, e o amarelo de uma esfera armilar não ao centro, um pouco mais para o lado esquerdo, porque no povo uma propensão para a saudade e outros sentimentos cardíacos.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login