Financiamento dos partidos: Não há dinheiro, mas há palhaços
Miguel Ferreira da Silva Presidente da Iniciativa Liberal
23 de janeiro de 2018

Financiamento dos partidos: Não há dinheiro, mas há palhaços

É demasiado óbvio que, para além de soluções à medida de cada um dos participantes nesta aliança improvável, as várias isenções são, no actual quadro, uma afronta imoral a todos os portugueses

Na "Lei às escondidas" que o Presidente vetou são conhecidos os disparates de alguns dos "já agora"  que os partidos queriam aprovar, pelo meio de alterações inegavelmente necessárias. Aparentemente querem-na aprovar outra vez, de novo sem ouvir mais ninguém. Sobre os que pagam a fatura, todos nós, pensam "ai aguenta, aguenta".

É demasiado óbvio que, para além de soluções à medida de cada um dos participantes nesta aliança improvável, as várias isenções (incluindo IVA) são, no atual quadro, uma afronta imoral a todos os portugueses. Uma imoralidade de quem se sente impune e distante do país.

Os donos disto tudo são, de facto, os que mandam no Estado e vivem à custa dele. Ao dominarem o desenho das regras, viciam o jogo para ganharem sempre. Ganharem dinheiro e ganharem votos.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui