Escuta!
João Laborinho Lúcio
03 de junho de 2020

Escuta!

"Quantas vezes teremos participado de reuniões em que um ou vários dos presentes estão mais ausentes do que reunidos? Quantas vezes entrámos em gabinetes para uma conversa e quem nos recebe nos empresta apenas uma pequena parte de si? Quantas vezes teremos sido nós os sujeitos ativos dessas formas de estar?"

Na recente "The Global Coaching Conference: Coaching Psychological and the Climate in times of change", organizada pela The British Psychological Society, numa muito interessante apresentação da autoria de Reinhard Stelter, Professor da Universidade de Copenhaga, fui apresentado à escrita de Byung-Chul Han. Foi com especial atenção que escutei o Professor Dinamarquês quando citava o filósofo e ensaísta Sul-Coreano: "Um dia no futuro, talvez venha a existir uma profissão conhecida como o "ouvinte". Por um preço, o ouvinte oferece um ouvido ao outro. As pessoas irão a um ouvinte porque quase já não há quem os oiça".

Quão interessante é esta abordagem às relações humanas numa época em que passamos o dia "ligados" uns aos outros, a escrever e a dedilhar palavras umas atrás das outras, a clicar em botões de "publicar" imagens infinitas, ora estáticas ora em movimento, e em que sonhamos ainda com aquele momento em que gritamos palavras uns aos outros, num imenso esforço vocal para nos fazermos ouvir, entre brindes e gargalhadas de quem voltou a abraçar-se.

Interessante, ainda, notar a profundidade da afirmação de Han neste nosso novo mundo feito de "webinars" constantes em que falamos para uma micro câmara, tendo-nos como espetadores da nossa intervenção, imaginando um mar de gente do outro lado do nosso ecrã.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui