A triste figura portuguesa no passamento do barbudo Fidel
João Brandão Ferreira Oficial Piloto Aviador
14 de dezembro de 2016

A triste figura portuguesa no passamento do barbudo Fidel

Com estas "ferramentas" na mão e uma gestão inteligente do arrazoado contido na vermelha Constituição (na capa, nas intenções e no conteúdo…), têm mantido a sociedade portuguesa absolutamente condicionada e subvertida

"Em 1957 Fidel Castro prometeu aos cubanos paz, liberdade, riqueza, democracia e eleições livres. Infelizmente, sua morte prematura não permitiu que ele cumprisse a sua promessa."

Dilma Roussef, discursando no velório de Fidel (do anedotário nacional).

 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui